terça-feira, 17 de outubro de 2017

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

INVOCAÇÃO DAS BÊNÇÃOS DA LINHAGEM


Esplêndido e precioso Lama Raiz Sentado sobre um lótus na coroa de minha cabeça, Abençoe-me com sua grande bondade
Outorgando sobre mim a perfeição de corpo, palavra e mente.

Invoco as bênçãos dos quatro oniscientes Gurus que aumentaram a colheita dos quatro corpos de emancipação através de terem realizado a incessante chuva das quatro grandes consagações a cair sobre o chão das quatro realmente puras mandalas.
Invoco as bênçãos de Vajradhara que tudo penetram, Nairatmya, o Senhor do Poder, Mahasiddha Krishnapa, Damarupa, Avadhutipa, e de Gayadhara.
Invoco as bênçãos do grande Guru Dromi, Seton Kunrik, Zhangton Chobar, os auspiciosos -Sakyapas, os veneráveis irmãos, o Sábio (Pandita) Senhor do Dharma, e de Chogyal Phakpa.
Invoco as bênçãos de Konchok Pal, o Senhor do Dharma Sodnam Pal, Sodnam Gyaltsen, Palden Tsultrim, Buddhashri, o grande Ngorpa Vajradhara, e de Sempa Chenpo.
Invoco as bênçãos de Kunga Wangchuk, o conhecedor de tudo Sodnam Senge, Kongchog Phel, Sangye Rinchen, o Sakya Lotsawa, Konchok Lhundrup, e de Kunga Rinchen.
Invoco as bênçãos de Konchok Gyatso, Sodnam Wangpo, Dagpa Lodro, Sangye Gyaltsen, Kunga Sodnam, Sodnam Wangchuk e de Kunga Tashi.
Invoco as bênçãos do real Vajradhara Karma Ratna, do Mestre de todas as Raças Zhenphen Nyingpo, do senhor do Cakra Jampal Zangpo, e de todos os gloriosos gurus.
Pelas bênçãos dessa prece, renúncia e as duas Bodhicittas nasçam em meu coração; tendo ficado entusiasmado depois de ouvir as qualidades do resultado, abençoe-me, para que eu entre no caminho do grande segredo. Em todos os nascimentos que obtenha, tendo conseguido todas as condições favoráveis, tais como foram exaltadas pelos Conquistadores e tendo bem realizado os desejos de acordo com o Dharma, que a prosperidade do Samsara e do Nirvana aumente.
Em todas as vidas, que eu nunca esteja afastado dos perfeitos mestres e que eu sempre desfrute de sua glória, realizando as boas qualidades dos estágios e o caminho e rapidamente atingindo o estágio de Vajradhara.


Pelo poder de minha prece e súplica, que vocês sejam a causa para mim e para todos os seres, onde quer que nós vivamos, da eliminação da doença, da pobreza, demônios e conflitos e que prospere o Dharma e as condições auspiciosas.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

OS QUATRO GRANDES REIS

OS 4 GRANDES REIS...

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O TANTRA DENOMINADO A ORIGEM DE TODOS OS RITOS DE TARA, MÃE DE TODOS OS TATHAGATAS

O TANTRA DENOMINADO A ORIGEM DE TODOS OS RITOS DE TARA, MÃE DE TODOS OS TATHAGATAS

(Willson, Martin. In praise of Tara. London, Wisdom, 1986. Trad. R. Samuel)

Homenagens a Arya-Manjusri! 

Capítulo 1. Introdução

Assim ouvi uma vez. O Senhor residia no reino de Tusita. Incontáveis Bodhisattvas como Maitreya e Manjusri, e incontáveis [deidades] como Kurukulla e Parna-sábari, e como Brahma e Sakra, segurando incontáveis flores celestiais, como as celestiais flores do lótus do Kumida e do mandarava, incontáveis instrumentos musicais celestiais, como conchas, vinas, tambores, mrdangas e sürpavinas, e incontáveis celestiais parassóis, estandartes e bandeiras, circum-ambulavam o Senhor no sentido horário, fazendo oferendas com nuvens de oferendas de todos os tipos de oferendas.

Então, o Senhor concentrou-se na concentração denominada Adamantina, destruidora de forças hostis. Imediatamente a terra tremeu, o círculo dos Maras foi vencido, e Ele emanou um grande brilho de luz. Foi assim: Ele emanou todos os tipos de luz – branca, vermelha, amarela, verde, azul e mista –, que purificaram tudo o que possuía sofrimento, e Tara, Mãe de todos os Buddhas, desceu sobre a coroa de Kurukula. Imediatamente, choveram enormes quantidades de oferendas. Aquela deusa tornou-se, então, como o disco do sol sem nuvens.

Ela foi, então, louvada com estes versos de louvor:
1. Em todo o reino, completamente purificadas,
Muitas preciosas flores descem, como a chuva.
Mãe produtora dos Buddhas dos três tempos,
Mãe Tara! A Ti homenagens e louvores!

Então, o Bodhisattva Manjusri, o Jovem, drapejou a parte superior de suas vestes sobre um ombro e, ajoelhando-se sobre o joelho direito, perguntou ao Senhor: “Senhor, todos os Buddhas dos três tempos são profundos. Como, então, Ela os produz? Como é Ela sua Mãe?” E o Senhor disse: “Isto é verdade, Manjusri. Mas todos os Buddhas dos três tempos são também improduzidos e incessantes, não maculados e não imaculados, sem decréscimo ou acréscimo, e [estão], por natureza, no Nirvana. Por esta razão: esta é a natureza de todos os dharmas.” O Bodhisattva Manjusri, o Jovem, disse: “Senhor, como são produzidos os Buddhas dos três tempos, os quais são improduzidos e incessantes, não maculados e não imaculados, sem decréscimo ou acréscimo, e [estão], por natureza, no Nirvana?

E o Senhor disse: “Portanto, Manjusri, com a compreensão da ipseidade dos dharmas, deve-se meditar sobre Ela; deve-se recitar esta prática dharani com seriedade, compreender Suas qualidades e fazer oferendas a Ela. Deve-se receber instruções e não ter dúvidas. Deve-se agir com seriedade do que se faz, lembrar Seus louvores e praticar os ritos com severidade.” Com estas palavras Ele ensinou ao Bodhisattva Manjusri, o Jovem.

Capítulo 2. Oferecimentos

Então o Bodhisattva Manjusri, o Jovem, perguntou ao Senhor:
“Como, Senhor, deve-se meditar sobre Ela? Como se deve praticá-La com seriedade?” E o Senhor disse: “Manjusri, deve-se direcionar a mente da seguinte forma: todos os dharmas, Manjusri, são improduzidos; todos os dharmas são incessantes; todos os dharmas são imaculados; todos os dharmas estão no Nirvana, e são puros por natureza – assim se deve meditar.
Portanto, Manjusri, deve-se dizer este mantra:

OM SVABHÂVA-VISUDDHÃH SARVA-DHARMÃH SVABHÃVA-VISUDDHO ‘HAM. ‘
(Os dharmas OM Todos são puros por natureza, Eu sou puro por natureza.)

E o Senhor também disse: “Deve-se cultivar a Bondade-amorosa, considerando aqueles que nasceram de um ventre, aqueles que nasceram de um ovo, aqueles que nasceram do calor-úmido e aqueles que nasceram miraculosamente. Deve-se gerar a Grande Compaixão com relação ao nascimento, ao envelhecimento, à doença e à morte. Deve-se cultivar a Alegria e a Equanimidade com relação à Vacuidade, à Singularidade e à Falta de Desejo, e ao naturalmente incondicionado. Portanto, Manjusri, os Quatro Incomensuráveis são a causa, a Bodhicitta é seu produto. Portanto, deve-se trazê-las no coração com seriedade.

‘Portanto, Manjusri, deve-se dizer este mantra:
OM BODHICITTA-UTPÃDAYA AHAM.
(OM Que eu possa gerar a Bodhicitta!)

E novamente o Senhor falou, dizendo: “Deve-se fazer uma oferenda com as seguintes oferendas:

2 ‘Magicamente criada por todos
Os Buddhas que residem nos mundos das dez direções,
Todos os tipos de incenso, em pó ou em pedaços,
Ofereceremos à Mãe, Produtora dos Conquistadores.
3 ‘Buddha-locanã, elevada Mãe de todos
Os Tathagatas que residem nos mundos das dez direções!
Todos os tipos de flores, sós ou em guirlandas,
Ofereceremos à Mãe, Produtora dos Conquistadores?
4 ‘Jóia Suprema, Mãe de todos
Os Tathagatas que residem nos mundos das dez direções!
Todos os tipos de jóias preciosas, lâmpadas e guirlandas
Ofereceremos à Mãe, Produtora dos Conquistadores.
5 ‘Pãdara-vãsini, elevada Mãe de todos
Os Tathagatas que residem nos mundos das dez direções!
Água pura, de doce aroma, e rios de perfume
Ofereceremos à Mãe, Produtora dos Conquistadores.
6 ‘Elevada Mãe com Ações Divinas de todos
Os Tathagatas que residem nos mundos das dez direções!
Provisões, como alimentos sólidos e macios
Ofereceremos à Mãe, Produtora dos Conquistadores.
7 ‘Que canções e os sons de instrumentos musicais,
Inclusive de címbalos, aliviem todo sofrimento.
E parassóis, estandartes, flâmulas, bandeiras e sombrinhas
Reúnam-se como nuvens de todas as dez direções!
8 ‘Que ramos folhudos e fragrantes de árvores que realizam desejos,
Árvores floridas, e outras, reúnam-se
de todas as dez direções!
9 ‘Que a chuva com fragrância perfumada,
a chuva com aromas agradáveis
de grãos e de flores e de tudo o mais
desça definitivamente!
10 ‘Com riachos correntes e piscinas
e fontes e lagos e tanques,
Lagos de cem sabores,
gansos e outras aves,
11 ‘Uma mansão de jóias, ornada com belas pérolas
Com luz no leste e no oeste, do Sol e da Lua,
E os apartamentos mais agradáveis à mente,
Ofereceremos à Mãe, Produtora dos Conquistadores.

“Portanto, Manjusri, estes mantras de oferendas devem ser ditos:
OM GATA-DHÚPA-PÜJA-MEGHASAMUDRA-SPHARANA-SAMAYE HÜM!
(om o Incenso de todos os Tathãgatas se reune como um oceano inundante de nuvens de oferendas HUM!)
OM SARVA-TATHÁGATA -PUSPA-PUJA-MEGHA- etc.
(OM as Flores de todos os Tathãgatas...)
OM SARVA-TATHÃGATA-ÁLOKA-PÜJAMEGHA etc.
(om a luz de todos os Tathãgatas …)
OM SARVA-TATHÃGATA-GANDHA-PÚJA-MEGHA etc.
(om os Perfumes de todos os Tathagatas...)
OM SARVA-TATHÁGATA NAIVIDYA PÜJA MEGHA etc.
(om as Oferendas de alimentos de todos os Tathãgatas...)
OM SARVA-TATHÃGATA- SABDA-PÜJA-MEGHA- etc.’
(Om os Sons de todos os Tathagatas...)

Capítulo 3. Louvores

Então Ele falou novamente para Manjusri, o Jovem, dizendo: “Manjusri, esta Mãe é a Mãe de todos os Buddhas dos três tempos. Portanto, Manjusri, traga em seu coração este louvor pelos Buddhas dos três tempos!”

Então o Senhor pronunciou a dharany de louvor:
“NAMAH SARVA-TATHÃGATÃNÃM. TAD YATHÃ:
OM NAMAE SÜKASÃM, NAMAH TÂRAYAI TÃRAMITÀ! "
(Homenagens a todos os Tathagatas, como se segue:
OM Homenagem a Compassiva, aos Compassivos, homenagem a Tãrã, estabelecida como Salvadora!)

[Segue-se agora o texto em sânscrito dos Louvores em Vinte-e-uma Homenagens : ´namas tare ture vire... etc, que em português é:
OM! JETSUNMA! PROSTERNAÇÕES À NOBRE TARE!
1.Prosternações à Nobre, que é rápida e corajosa; cujos olhos brilham e que nasce face-lótus do Senhor dos Três Mundos;
2.Prosternações a Ela, cuja luminosa face brilha com a luz de cem mil luas cheias de Outono, brilhante constelação de mil estrelas;
3.Prosternações para quem segura o lótus azul que purifica os três venenos e possui infinitas qualidades de doação, diligência, ética, paciência, meditação e paz;
4.Prosternações à Unisha dos Tatághatas, que conquista ilimitáveis vitórias e é servida pelos filhos dos conquistadores que atingiram as perfeições;
5.Prosternações a Ela, cujas letras TUTTARE e HUM, com sua luz poderosa, preenchem os sete mundos, beneficiando os seres;
6.Prosternações a Ela que é louvada por Shakra, Agni, Brahma, Vayu e Ishvara; em frente à qual assembléia de demônios, zombies, gandharvas e yákshas oferecem preces;
7.Prosternações a quem destrói o mágico poderes dos outros com os sons TRAT e PHÊT, pressionando com o pé direito curvado e o esquerdo estendido, brilhando com a luz flamejante do fogo;
8.Prosternações a Ture, a terrível, que conquista a totalidade dos ferozes demônios, cuja face-lótus em disposição irada mata os inimigos todos;
9.Prosternações a Ela, a mão esquerda posta no coração, no gesto que simboliza as Três Jóias, as palmas adornadas com a Roda Universal, radiação que conquista turbulências e obstáculos;
10.Prosternações à grande jubilosa, sobre cuja cabeça o rosário de coruscantes luzes; e rindo-se, rindo-se fortemente controla os demônios e o mundo com TUTTARA;
11.Prosternações a Ela, que tem o poder de subordinar a inteira assembléia dos protetores da terra; e resgata completamente os destituídos com o irado movimento da letra HUM;
12.Prosternações a quem tem a lua crescente como ornamento na cabeça e brilha com vários outros adereços, sobre cujo coque dos cabelos está Amitabha de onde partem contínuas luzes;
13.Prosternações a Ela, dentro de guirlanda qual no fogo do fim dos mundos, com isso dominando o exército sitiante dos inimigos da felicidade, com a perna direita estendida e a perna esquerda dobrada;
14.Prosternações a Ela, cuja mão esquerda em mudra ameaçador golpeia a terra de modo irado, com a letra HUNG abrandando os sete tipos de seres;
15.Prosternações a Ela, abençoada, virtuosa, serena; seu campo de prática é o calmo Nirvana, possuidora de SVAHA e OM, destruindo as grandes ações prejudiciais;
16.Prosternações a Ela, que destrói os inimigos sitiantes da felicidade, que libera com a formulação do mantra de dez letras e HUNG;
17.Prosternações a Ela, TURE, que bate o pé com a sílaba HUNG, sacudindo o monte Mandara, Vindhya e os três mundos;
18.Prosternações a Ela, que segura a lebre-marcada lua, assumindo a forma do lago das deusas; no refrigério da lua os três venenos são purificados quando pronuncia duas TARAS e a letra PHÊT;
19.Prosternações a Ela, servida pelo rei dos deuses, pelos deuses, pelos homens e por todos; dissolve as brigas e maus sonhos com a armadura encantadora e brilhante;
20.Prosternações a Ela, cujos dois olhos - o sol e a lua - iluminam com raios que removem as piores doenças, proferindo uma vez TUTTARA e duas vezes HARA;
21.Prosternações a Ela, que possui a força tranqüila das três jóias, destrói os maus espíritos e a caminhante morte... TURE, a excelente senhora!
Esta é prática do mantra-raiz / Com vinte-e-uma prosternações.]

“TARA-BHAGAVATIYAM SÜTRAM SAMYAKSAMHUDDHA-BHÃSITAM
(Sütra da Senhora Tãrã, falado pelo Buddha Completo e Perfeito)
SARVA-KARA SAMAYÃ ULAKARAYE
(Rápida como o meteoro em Seu empenho que tudo executa.)
BUDDHANI CA DHARMANI CA SAMGHANI CA TARAYE SVAHA!
(Tãrã, da natureza de Buddha, Dharma e Sangha: a Ti, SVÂHÃ!)
“Este dharani, Manjusri, é abençoado por todos os Buddhas dos três tempos. Ele louva Tara, a Mãe que produz todos os Buddhas dos três tempos, através da destruição de tudo o que é
Inapropriado. Seus benefícios são inconcebíveis. E assim, Manjusri, devo falar deles.
Aqueles que proferirem este Dharani não renascerão nunca como seres infernais, pretas ou animais. Nunca renascerão nas terras limítrofes como bárbaros, ou com faculdades incompletas etc. Estarão livres de todo perigo ou doenças como pragas, varíola ou doenças infecciosas, e o perigo de doenças não aparecerá. Estarão livres dos oito grandes medos etc. Manjusri, os que conservarem esses louvores para todos os Budas dos três tempos terão feito oferecimentos para todos os Buddhas dos três tempos. Conservando-os, serão purificados de todos as iniqüidades, inclusive as [cinco] imediatas. Verão todos os Buddhas. A morte última não vai ocorrer, e quando morrerem verão Tara, a Mãe que produz todos os Buddhas dos três tempos. Quem conservar isso, conseguirá tudo que mentalmente procurar. Receberão um corpo perfeito, face perfeita e tudo o mais. Todos os obstáculos dos maus sonhos, dos maliciosos e espíritos serão abrandados. Verão também as verdades dos três tempos. Verão diretamente a forma da Mãe Tara.

´NAMAH SARVA-TATHAGATA- SAMYAK
SAMBUDDHAYA TREYATE DHARATE TU TARA!
(Homenagem a todos os Tathagatas e completos e perfeitos Buddhas, salvando, preservando, TUTTARA):

Isto é para ser recitado´.

[Fim do Capítulo 3]   


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

ANIVERSÁRIO DO NOSSO SAGRADO GURU

QUE SUA VIDA SEJA ETERNA!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Tsarchen Losal Gyatso


at Thubten Gephel Monastery in Lhatse, Shegatse.Tibet

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

terça-feira, 29 de agosto de 2017

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

domingo, 20 de agosto de 2017

O ECLIPSE DO SÉCULO

O ECLIPSE DO SÉCULO - HOJE O FRUTO DOS ATOS POSITIVOS OU NEGATIVOS SÃO MULTIPLICADOS POR MILHÕES...

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

EM POCHARA


terça-feira, 1 de agosto de 2017

terça-feira, 25 de julho de 2017

quarta-feira, 5 de julho de 2017

quinta-feira, 29 de junho de 2017

sexta-feira, 9 de junho de 2017

FELIZ SAKA DAWA



Friday, 9th of June is the full moon day of the sacred month of Saga Dawa, the fourth month of the Tibetan lunar calendar.
For Buddhists this is the most sacre...
Ver mais

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sakya Tsechen Thubten Ling Summer 2017 Empowerments and Teachings



Sakya Tsechen Thubten Ling Summer 2017 Empowerments and Teachings
S
Sakya Tsechen Thubten Ling
Hoje, 03:11
Sakya Tsechen Thubten Ling (sakyavancouver@shaw.ca)
Sakya Tsechen Thubten Ling Summer 2017 Empowerments and Teachings
We welcome you to attend this summer’s events.
The following empowerments and teachings will be bestowed by Her Eminence Jetsun Kushog Chimey Luding at our centre:
9471 Beckwith Road, Richmond, B.C., V6X 1V8, Canada.
11 June 2017 2:00 PM Chenrezig Thousand Arm Empowerment
Jetsun Kushok Rinpoche will bestow this Chenrezig empowerment, which brings peace and compassion to practitioners, who may dedicate it for the benefit of all sentient beings.
Please be vegetarian prior to this empowerment.
(You are welcome to attend our Sunday Tara Puja at 10:00 AM.)
Members: $45
Non-Members: $50
17 June 2017 2:00 PM Medicine Buddha Empowerment
Jetsun Kushog Rinpoche will bestow the Medicine Buddha empowerment for the health and welfare of practitioners and all sentient beings.
Please be vegetarian prior to this empowerment.
Members: $45
Non-Members: $50
18 June 2017 2:00 PM Green Tara Empowerment
Jetsun Kushog Rinpoche will bestow the Green Tara empowerment so that practitioners can cultivate compassion in action in their daily lives.
Please be vegetarian prior to this empowerment.
(You are welcome to attend our Sunday Tara Puja at 10:00 AM.)
Members: $45
Non-Members: $50
19 July-26 July Vajrayogini Blessing and 7 Day Teaching
Vajrayogini is female emanation of divine wisdom revered by practitioners of the enlightenment path.
July 19 7:30 PM
July 20 7:30 PM
July 21 7:30 PM
July 22 2:00 PM
July 23 2:00 PM (You are welcome to attend our Sunday Tara Puja at 10:00 AM.)
July 24 7:30 PM
July 25 7:30 PM
July 26 7:30 PM
Participants must have had a Hevajra or Chakrasamvara Empowerment from a Sakya Lama to attend.
Empowerment Only:
Members:$45
Non-Members: $55
Empowerment and 7 Day Teaching:
Members: $350
Non-Members: $400
13 August 2017 2 PM Yellow Dzambhala Empowerment
Jetsun Kushok Rinpoche will bestow the empowerment of Yellow Dzambhala (Jambhala), the deity of wealth and prosperity, which is typically practiced to create wealth, eliminate poverty, increase virtues, lifespan and wisdom in order to provide a conducive and abundant environment for the practice of Dharma.
(You are welcome to attend Tara Puja at 10:00 AM.)
Members:$45
Non-Members:$50
13 Au
Due to administrative difficulties, we only accept pre-registration with full payment of program fee. Thank you for your kind understanding.
As always, we encourage early registration to help us plan and ensure sufficient liturgies are prepared for the events, as well as to be guaranteed of a space.
S
Sakya Tsechen Thubten Ling
|
Hoje, 03:08
Sakya Tsechen Thubten Ling Summer 2017 Empowerments and Teachings
We welcome you to attend this summer’s events.
The following empowerments and teachings will be bestowed by Her Eminence Jetsun Kushog Chimey Luding at our centre:
9471 Beckwith Road, Richmond, B.C., V6X 1V8, Canada.
11 June 2017 2:00 PM Chenrezig Thousand Arm Empowerment
Jetsun Kushok Rinpoche will bestow this Chenrezig empowerment, which brings peace and compassion to practitioners, who may dedicate it for the benefit of all sentient beings.
Please be vegetarian prior to this empowerment.
(You are welcome to attend our Sunday Tara Puja at 10:00 AM.)
Members: $45
Non-Members: $50
17 June 2017 2:00 PM Medicine Buddha Empowerment
Jetsun Kushog Rinpoche will bestow the Medicine Buddha empowerment for the health and welfare of practitioners and all sentient beings.
Please be vegetarian prior to this empowerment.
Members: $45
Non-Members: $50
18 June 2017 2:00 PM Green Tara Empowerment
Jetsun Kushog Rinpoche will bestow the Green Tara empowerment so that practitioners can cultivate compassion in action in their daily lives.
Please be vegetarian prior to this empowerment.
(You are welcome to attend our Sunday Tara Puja at 10:00 AM.)
Members: $45
Non-Members: $50
19 July-26 July Vajrayogini Blessing and 7 Day Teaching
Vajrayogini is female emanation of divine wisdom revered by practitioners of the enlightenment path.
July 19 7:30 PM
July 20 7:30 PM
July 21 7:30 PM
July 22 2:00 PM
July 23 2:00 PM (You are welcome to attend our Sunday Tara Puja at 10:00 AM.)
July 24 7:30 PM
July 25 7:30 PM
July 26 7:30 PM
Participants must have had a Hevajra or Chakrasamvara Empowerment from a Sakya Lama to attend.
Empowerment Only:
Members:$45
Non-Members: $55
Empowerment and 7 Day Teaching:
Members: $350
Non-Members: $400
13 August 2017 2 PM Yellow Dzambhala Empowerment
Jetsun Kushok Rinpoche will bestow the empowerment of Yellow Dzambhala (Jambhala), the deity of wealth and prosperity, which is typically practiced to create wealth, eliminate poverty, increase virtues, lifespan and wisdom in order to provide a conducive and abundant environment for the practice of Dharma.
(You are welcome to attend Tara Puja at 10:00 AM.)
Members:$45
Non-Members:$50

domingo, 4 de junho de 2017

quinta-feira, 1 de junho de 2017

sábado, 27 de maio de 2017

domingo, 7 de maio de 2017

sábado, 6 de maio de 2017

4th HE Dezhung Rinpoche when he was 4/5 with his childhood friends.

4th HE Dezhung Rinpoche when he was 4/5 with his childhood friends.
I MEET HIM IN DUB TAB KUN TUB

quarta-feira, 3 de maio de 2017

OS GRANDES MESTRES TIBETANOS




OS GRANDES MESTRES TIBETANOS

Palestra Pública Proferida em Friday Harbour, WA/EUA, dia 28 de julho 1995
Sua Santidade Sakya Trizin (gravação e transcrição exclusiva de nosso centro, única em todo o mundo)




(Na foto de R. Samuel, S. S. Sakya Trizin recebe uma imagem de seu filho, S. E. Vajra Ratna Rinpochê, em Vajradhara Gompa, Austrália, durante o LanDré. * )
Primeiramente eu quero agradecer a oportunidade que vocês me deram para compartilhar de algumas histórias de vida dos antigos mestres. E já que o tema desta noite aqui é a vida dos grandes mestres do antigo Tibet eu gostaria de começar com uma prece dedicada aos grandes Mestres passados e enquanto eu recito os que receberam os Ensinamentos pensem nas imensas qualidades dos grandes mestres:
Paldem tsawei lama rinpoche
Dag gi chi wor pemei den sug ne
Kaadrin chen pe gone je sung te
Ku sung tug kyi ngo drub tsal du sol
Agora depois desta prece aos grandes mestres... Neste Universo no qual estamos residindo existem muitas diferentes raças, culturas, diferentes filosofias, mas uma coisa é comum a todos, é que todas as pessoas, todo ser vivo deseja estar livre do sofrimento. Todos desejam experimentar felicidades. Seja crente ou descrente, qualquer que seja a filosofia, qualquer que seja a tradição que você mantenha.
E para conseguir a felicidade todas as pessoas fizeram os seus melhores esforços. Para conseguir felicidade todas as nações construíram o progresso e para tanto muito trabalho foi realizado. Progresso científico e tecnológio. E houve muitas ações bem sucedidas, muitos problemas encontraram solução.
Mas é bastante claro que, sem desenvolvermos Sabedoria Profunda, o simples progresso material externo não nos dará muito sucesso quanto à paz e a felicidade que estamos perseguindo. Se o indivíduo não desenvolver a Sabedoria Profunda, o progresso material pode tornar-se mais um obstáculo do que um meio para consegui-lo.
E agora que estamos ingressando no novo Século ter Sabedoria Interior, progresso mental. Progresso material simultaneamente desenvolvendo a Sabedoria Interior, o Desenvolvimento Mental. Isto é muito importante.
E para conseguir esta Sabedoria Profunda temos atingir a meta da Paz Real e felicidade que buscamos.
 E assim, para o desenvolvimento da grande sabedoria, neste mundo há muitas religiões. Eu pessoalmente acredito que todas as grandes religiões do mundo têm a sua beleza própria, a sua grandeza própria para desenvolver a bondade... mas como budista eu vou tentar apresentar o ponto de vista budista.
De acordo com o Ensinamento budista todos os seres viventes se tentarem seguir o desenvolvimento de um treinamento espiritual serão bem sucedidos, porque todos os seres viventes possuem a natureza búdica, o mesmo que dizer que a natureza mesma de nossas mentes, apesar de nunca estar totalmente livre de obscuridades, apesar de nunca estar livre de poluições, apesar disso a verdadeira natureza da mente é pura desde um tempo sem princípio, desde o sem princípio.
Mas neste momento nós não vemos a verdadeira natureza da mente que está completamente coberta de obscuridades e de poluição e de ilusões, divisões.
Em vez de ver a verdadeira natureza da mente é que, devido a não conhecermos a realidade é que nós nos inventamos como um "eu". E assim, devido a isto, para resolver o nosso sonho-de-um-eu nós nos aferramos a um "eu", como agregado do corpo, da mente, e tudo isso junto nós pegamos como um "eu" e isto é a fonte de toda a miséria e do sofrimento.
Para apropriadamente estarmos livres é preciso entrar no caminho espiritual e desenvolvendo aquela sabedoria profunda nós podemos eliminar as obscuridades, porque as obscuridades não são a natureza da mente, as obscuridades estão no nível da cobertura. Se as corrupções estivessem no nível da natureza da mente nada poderia ser transformado: o carvão não pode tornar-se branco por mais que o lavemos, porque a natureza do carvão é negra. Mas as corrupções não são a natureza da mente, elas são temporárias, assim com métodos corretos nós podemos eliminar as obscuridades, assim como uma roupa branca coberta de sujeira não deixa ver a real cor da roupa.
No momento nós não podemos ver a real natureza da mente porque está coberta de poluições.
O meio de eliminar essas corrupções á através do desenvolvimento do chamado Método e Sabedoria. O Método depende muito da Sabedoria. Se Sabedoria nós não podemos acumular o apropriado Método. Para acumular o apropriado Método nós precisamos de Sabedoria. E também para fazer brotar a Sabedoria nós necessitados do suporte do Método.
Com os dois juntos, o Método e a Sabedoria, é que uma pessoa pode eliminar todas as obscuridades. E quando as obscuridades são eliminadas você vê a verdadeira natureza da mente com a qual podemos ter sucesso, o que quer dizer, em outras palavras, atingir a Iluminação, com a qual teremos todos os meios para conseguir realizar todos os nossos desejos, e porque todas as obscuridades foram eliminadas todas as qualidades poderão se desenvolver. E por isso nossos próprios desejos, os nossos próprios propósitos são realizados, e ao mesmo tempo, através do desenvolvimento das qualidades, nós poderemos desenvolver o socorro a todos os seres.
Para conhecer as práticas espirituais é muito importante conhecer a vida dos grandes Mestres para que nos inspiremos a seguir os seus exemplos. Porque também os grandes Mestres foram todos pessoas comuns como nós, e como nós estiveram cheios de corrupções e cheios de obscuridades. Mas porque entraram no caminho espiritual, e devido à prática que fizeram com esforço puderam eliminar as obscuridades e desenvolver a Sabedoria e assim tiveram sucesso em suas práticas. Por isso é muito importante conhecer a biografia dos Grandes Mestres.
Também para fazer nascer a inspiração para a prática é muito interessante conhecer os grandes Mestres.
Como sabem, o Budismo começou na Índia. O Senhor Buddha nasceu na Índia e também atingiu a Iluminação na Índia. E também ali demonstrou suas grandes atividades físicas, suas grandes atividades verbais e suas grandes atividades mentais.
Mas a sua atividade mais importante ficou conhecida como "Girar a Roda", Girar a Roda do Dharma. O sentido disso é que a roda gira, pelo girar da roda é que nós atingimos nossa destino, ou seja, nós vamos de um lugar para outro.
Semelhantemente, girar a roda tem dois significados: um é que, grande realização tendo sido atingida pelo Buddha, através das palavras ele pôde transferi-la para nós, ou seja, assim como através da roda nós podemos viajar de um lugar para outro, através do girar a roda os seus Ensinamentos puderam se disseminar de um lugar para outro; outro sentido é que, primeiro nós ouvimos e aprendemos os Ensinamentos do Buddha, depois contemplamos, e a seguir meditamos sobre eles, e é através da meditação nós prosseguimos e vamos mais adiante no caminho espiritual.
Primeiramente vem do Buddha para nós, e depois num momento posterior nós também prosseguimos. Este é o sentido de girar a roda.
Por isso o girar a roda do Dharma é a maior atividade realizada pelo Buddha, porque através do girar a roda os seres foram capazes de eliminar as obscuridades e conseguir o sucesso posterior no caminho.
Depois que o Budismo se estabeleceu na Índia se disseminou em muitos países. Mas no Tibet, e graças à bondade de virtuosos Reis do Dharma, de seus ministros, de alguns panditas indianos, de tradutores, através deles o Tibet possui o completo Ensinamento do Buddha.
Ainda que em outras partes do mundo também possuam profundas doutrinas budistas, alguns têm apenas a parte hinayana, outras têm apenas a parte mahayana, outras têm a parte mantrayana (não completamente, mas têm).
O Tibet, porém, tem tudo, completo Ensinamento Hinayana, o completo Ensinamento Mahayana e o completo Ensinamento Mantrayana. E também tem as ciências relacionadas com a cultura budista, como a lógica, a arte e assim por diante.
O Tibet tem, não apenas o Ensinamento completo, mas o Mestres tibetanos tiveram a mesma realização que os Mestres indianos tiveram.
Diz-se que, certa vez um Mestre indiano chamado "Taba" Sangyê que era realmente um grande Mestre veio da Índia para o Tibet e ficou de um lado da montanha, quando do outro lado da montanha estava o grande Mestre tibetano Milarepa. Eles se conheciam e mandaram notícias um para o outro. Foi dito que de um lado da montanha estava o Mestre indiano, grande Mahasiddha, enquando se disse do outro lado que estava Milarepa. Ainda que naquele tempo não houvesse jornais (risos) mas havia algumas dakinis que levavam as mensagens de um para outro.
"Taba" Sangyê estava viajando para o outro lado para ver Milarepa, e Milarepa também foi do seu lado para o encontro.
Quando Milarepa estava próximo de "Taba" Sangyê ele desapareceu e transformou-se numa flor. E quando "Taba" Sangye chegou àquele lugar viu logo que aquela flor era Milarepa e... ele colheu a flor (risos). E ele disse: "Você tem aparecer para mim na sua verdadeira forma e não permanecer na forma de uma flor. Eu devo ver o seu verdadeiro corpo". E foi quando Milarepa apareceu e trocaram muitas experiências.
Finalmente, como por um milagre, os dois permaneceram sentados na postura de lótus sobre as folhas muito finas de uma espécie de capim. E, ainda que Milarepa fosse muito magro e pequeno, e ainda que "Taba" Sangyê fosse um homem muito grande e pesado, os dois se sentaram naqueles ramos muito finos e altos de capim sem vergá-los. Mas o peso de Milarepa parecia um pouquinho maior, pois o capim vergava um pouco.
Então se perguntou porque aquilo estava acontecendo, porque o leve Milarepa parecia levemente mais pesado. Então foi dito que era porque "Taba" Sangyê vinha da Índia, a pátria de todos os Buddhas do passado, do presente e do futuro, que era considerada um pouquinho mais sagrada do que o Tibet, ainda que o Tibet pudesse ser considerado um lugar sagrado mas não se igualava à Índia. Aquilo não acontecia devido à realização dos Mestres, mas sim devido à pátria de onde eles vinham. Não havia nenhuma diferença entre os dois no tocante à sua realização. É por isso que se diz que o Tibet herdou os Ensinamentos na sua pureza, e não há diferença de realização entre os Grandes Mestres Indianos e os Tibetanos. A única diferença está no lugar onde aqueles e estes nasceram.
E assim como cada um desses dois países tiveram grandes Mestres, também dentro do Tibet cada uma das quatro escolas do Budismo tiveram igualmente grandes Mestres. A escola Ningma, Sakya, Kagiu e Gelugpa tiveram todas elas grandes Mestres.
Da mesma forma a nossa tradição Sakya teve muitos grandes Mestres. Os antepassados da tradição Sakya tiveram Sete Grandes Khöns. Os Khön derivam diretamente de seres celestiais e mesmo naquele tempo antes do advento do Budismo eles eram emanações de Manjushri. Depois, quando o Budismo veio da Índia, essa tradição [Khön] cresceu na propagação do Buddha-Dharma e de fato um dos primeiros tibetanos a receber a completa transmissão e ordenação era um Khön, cujo nome era Nagarashita. Eram sete pessoas a receber a ordenação e ele era um dos mais jovens. Havia três velhos, um de meia idade, e três jovens. Nagarashita era o mais jovem. Todos eles se realizaram como monges completamente ordenados e isso foi muito auspicioso para o início da tradicão do mosteiro tibetano.
Nagarashita e seu irmão, Dorge Rinchem, receberam os profundos Ensinamentos diretamente de Guru Padmasambhava e por esta razão eles praticaram o se conhece como "antigos seguidores", o que em outras palavras eram os "Ningmapás".
Depois, o pai de Sachen Kunga Nyngpô, Khön Konchok Gyalpo, sentiu que devido às circunstâncias viera o tempo de estabelecer um escola separada; que, se ele começasse uma escola separada seria mais beneficioso; e assim a Escola Sakya foi estabelecida.
Khön Konchok Gyalpo estabeleceu o primeiro Mosteiro [Sakya]. Os Ensinamentos ali foram confiados aos Tradutores, porque o Ensinamentos que vieram dos tradutores eram considerados autênticos. Os Tradutores viajavam do Tibet para o Índia e ali se encontravam com os grandes Mestres indianos e recebiam os Ensinamentos.
Assim naquele tempo havia Dromi Lotsawa, um dos maiores tradutores. De fato, o grande Marpa, o fundador da Escola Kagiu, também estudou com Dromi Lotsawa. Dromi Lotsawa era um verdadeiro grande Mestre. Ele foi para a Índia e estudou com o grande "Karmalashila". Havia dois grandes Mosteiros naquele tempo na Índia. Um era Nalanda, e o outro era de "Karmalashila".
Ainda que em "Karmalashila" houvesse muitos outros sábios, ali havia seis grandes e renomados panditas. Ele eram conhecidos como os guardiães das portas, porque naquele tempo havia os budistas e os heréticos que vinham debatem sobre filosofia. Assim cada pandita estava sentado em cada uma das portas de cada lado. Quem viesse do Leste, o pandita da Porta do Leste iria desafiá-lo. Da mesma forma no Norte, e outros pontos cardeais... e no centro havia duas colunas de sustentação que completavam os seis grandes panditas. Dromi Lotsawa recebeu Ensinamentos com todos os seis panditas, ele era um grande Mestre também.
Principalmente Dromi Lotsawa recebeu de um Bikkhu (monge) chamado "Weel"Vajra o completo Tantra de Hevajra e completos Ensinamentos e instruções substanciais e a promessa de receber aquelas instruções em tibetano mesmo. Assim ele voltou para o Tibet e lá encontrou Gayadhara e de Gayadhara ele recebeu o Ensinamento LanDré.
Dromi Lotsawa foi o primeiro tibetano a receber o Ensinamento Landré, que é o principal Ensinamento Sakyapá que é o "Caminho e o Resultado Todos Juntos". Ele recebeu o LanDré e se transformou em real Dententor do Ensinamento. Teve muitos discípulos.

terça-feira, 2 de maio de 2017

HIS HOLLINESS SAKYA TRIZIN EM DIVERSAS POSTURAS

AKSHOBYA

AMITABHA

AMOGHASIDHI

RATNASAMBHAVA

VAIROCANA

VAJRADHARA

VAJRASATTVA

segunda-feira, 1 de maio de 2017

LINHAGEM LANDRÉ ATÉ KUNGA ZANGPÔ



VIRUPA

KRISHNAPA

DAMARUPA

AVADHUTIPA

GAYADHARA

DROGMI LOTSAWA

SETON KURIG

SHANGTON CHOBAR

SACHEN KUNGA NYINGPO

SONAN TSEMO

JETSUN DRAKPA GYALTSEN

SAKYA PANDITA

CHOGYAL PHAGPA

SHANG KHONCHOG PAL

DRAKPHUKPA

DAMPA SONAN GYALTSEN

PALDEN TSULTRIN (falta Buddha Sri)

KUNGA ZANGP